quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

ALEA JACTA EST - PARTE V

O DIÁRIO DE AZAZEL – PÁGINAS 1745 – 1750


“...O fogo sagrado queima no círculo de pedra, no centro do tudo o que eu sou... trovões poderosos retumbavam pelo ar e relâmpagos anunciam a tempestade... Desperto o dragão do abismo profundo... Eu abandono o reino do caos e me liberto ao longo dos rios infernais... Eu sigo o caminho da Serpente Vermelha num vôo ancestral ...” (Adatção livre do: Act IV: Congressus cum daemone in Cimmeries - Opera IX).


As coisas durante um tempo caminharam bem para mim no Distrito Industrial, o único problema foi que Pedro arrumou uma namorada que por sua vez tinha uma tia que era eximia feiticeira - especializada em amores e separações - e o filho desta era um bom aprendiz das artes da mamãe, ambos mascaravam as Artes Diabólicas sob o manto nas Crenças dos Ancestrais Africanas.
Confesso, meu pequeno Magistellus, que meu envolvimento com Pedro, haviam ultrapassado o limite de mera amizade e você sabe melhor que ninguém, que nunca me enquadrei no moralmente aceitável quando o assunto é sexo e amor - sempre fui amoral, escolho quem vai para cama comigo por afinidade e não por gênero.
Pedro e eu, nos ligamos demasiadamente, quase que diariamente estávamos juntos, eu cuidava dele e ele de mim, isso irritou não só a namorada dele, mas o meu servidor humano, que por ciúmes, não fez questão nenhuma de resistir aos encantos de dois cooptadores de Almas, uma dupla que prefiro chamar de “Almas Sebosas”. Por outro lado, eu também, não fiz questão alguma de levar queixas aos Anciões, pois por certo seria proibido de usar as Artes do Diabo para recuperar o domínio de meu servidor humano. E, pelo que conheço bem aquele ingrato servidor, quem o seduziu iria se arrepender -  Eu a ele sempre ensinei a se defender e a usar de “charme” contra as “Almas Sebosas.
Nem consultei os oráculos para saber, pois, tempos depois, através da rede mundial de fofoca, fiquei sabendo, que meus ensinos deram frutos, meu ex-servidor humano, soube de fato extrair monetariamente uma boa quantia das “Almas Sebosas” além de quase acabar - com sua sedução - com o laço que os unia há tempos – o feitiço virou contra os feiticeiros – E como eu não aceito devolução, faço minhas as palavras do bom e velho Capitã Nascimento (Tropa de Elite) : “cada cachorro que lamba sua caçeta”. Soube também, através de um velho e interesseiro conhecido (a quem subornei na maior cara de pau para colher informações sobre mim junto aos Anciões) que as “Almas Sebosas” foram até aos Anciões exigindo que fosse feita a reparação dos danos e querendo vingança, mas como tinham quebrado a regra 4.180 § IV do Distrito (É proibido, caçar, seduzir ou cooptar Servidores com Donos), foram proibidos de tocar no meu ex-servidor e tiveram que deixar ele em paz....Eu por outro lado, também, preferir quebrar o laço entre eu e ele, apesar da dor que é rasgar a carne e liberar sua cria, era necessário, não poderia continuar ligado aquele traidorzinho miserável...
Aqui meu Diário a história começa a se complicar... preste atenção... Alias, acho que esta é primeira vez que você não reclama e não palpita sobre o que escrevo em teu corpo...O que está havendo com você?
Como assim pra eu deixar de xaxo  e continuar essa história...?
Onde está o respeito Diário?
Tá bom... vou continuar...
Pare de rir, não fiz cócegas, nem estou bolinando você... Esse líquido é apenas a ponta molhada de saliva dos meus dedos para virar a página....
Continuando....
Como você sabe quando rompi com aquele ingrato humano, de imediato a minha ligação com Pedro alcançou um nível extremo, a principio nos campos da hipnagogia, entre as paisagens oníricas eu o conduzia até os campos de Josafá e aos Prados do Bode, fomos bem recebidos na  Encruza e Calunga, Mortos e Vivos, seres destes e de outros mundos, imaginados e inimaginados pela mente humana, todos saídos do útero-falo Primal se uniam em heresia e amoralidade para Glória de Destino... - congressum cum daemones - espíritos e carne unidos num Banquete a Gloria de Um..
O que é verdade acima é verdade abaixo, e o que é verdade aquém é verdade além do véu –  Nossa proximidade chegava ao limite de nos tornamos necessários um ao outro, era como se nos alimentássemos de nós, chegava quase ao patamar de obsessão.
Só pequenino Diário... Quem sabe direcionar sua luxuria com obsessão obtém seus resultado...
Tá bom... 
Pare de reclamar... sei que pequenino é diminutivo demais, eu sei... só quis ser carinhoso...
posso continuar?
Por vezes Pedro saia da casa da namorada e dirigia por quase uma hora para vim dormir comigo, bastava um simples toque e estávamos extasiados e entregues e, apesar dele nunca ter se envolvido daquela maneira, aquilo que sentia por mim era maior que seus medos e preconceitos. Ele estava disposto a acabar o namoro e eu me opus a isso (este foi meu erro fatal) - uma mulher ferida e magoada é um animal indomável e vingativo.
Ela sacou logo que aquela amizade estava além do aceito como normal e então consultou os oráculos através de sua tia... E Ifá não escolhe lados, apenas conta os fatos, o que viria em seguida é fácil de adivinhar, os búzios não metem jamais... Revelou a ela a verdade e como sempre, para cada destino um Ebó…
Certa noite de setembro, eu estava entre o limite do sonhar-dormindo-acordado e meu Guardião o Senhor Tranca Rua das Almas – me avisou -  estava sendo lançando  um poderoso feitiço, um Ebó de separação, e ele não poderia naquele momento impedir apenas proteger meu corpo, de imediato, ele me levou por uma encruzilha em T e na intercessão fica a Calunga Pequena, vários dos espíritos conhecidos meus estavam lá, cumprimentei a todos – Larouyê!!!!.


 Alguns se juntaram ao meu Guardião em cortejo - seu Caveira, Seu Capa Preta, Seu Veludo, Dama da Noite, Rosa Negra, Seu Tiriri, Seu Caveirinha -   sentir naquele momento as presenças de forças vindas dos portais de além em ebulição, Leonor a namorada do Pedro estava lá, sua Tia e seu primo eram os Maestros dos atos, via o medo e o terror nos olhos de Leonor, mas ao mesmo tempo, seu desejo de vingança e de ter Pedro apenas para ela era maior.
Vários ingredientes dispostos - panela de barro, bofe de boi, vários tipos de pimentas, alfinetes, azogue, dendê, frango preto, cachaça, espumante, charutos, cigarrilhas entre outras cosias não moralmente aceitáveis - um arsenal digno de uma boa feiticeira, iluminados a luz bruxuleante de velas pretas, vermelhas e brancas, estavam diante da sétima cova da calunga e a feiticeira alafiava para ver quem aceitaria o trabalho – trabalho aceito...
Na minha fúria insana, eu ia em direção ao trio para trucidá-los -  afinal, eles podiam ser feiticeiros, eles sabiam evocar espíritos e manipular as forças ao seu desejo assim como, mas eu tinha algo a mais, eu sabia andar entre os mundos e a provocar sensação físicas mesmos estando nos espaços hipnagógicos.... 
Quando me atirei uma mão frio, com dedos finos e cheios de anéis dourados com pedras vermelhas e unhas delicadamente feitas e pintadas de rosas se colocou na minha frente, aquele toque frio me paralisou... Pare – disse-me uma voz feminina e firme.


Ela era linda, olhos azuis, flutuava a poucos centímetros do solo, vestia um vestido longo de alças, com um leve decote, que começa em negro e ia mudando de cor à medida que desenhava seu corpo - do vermelho  ao cor de brasa viva – em direção aos pés.... no pescoço um colocar dourado com uma grande pedra vermelha reluzente - não sabia se era rubi ou diamante - seus cabelos loiros quase brancos presos em coque no alto da cabeça, fixados com uma rosa vermelha... Seus lábios finos pareciam estar untados com um leve batom roseado... A palidez da pele lhe dava uma beleza ímpar - a morte com certeza a amava... para deixa-la linda e formosa como era....Trazia rosas em uma das mãos - Não devemos nos aproximar, tudo a seu tempo... por causa deste feitiço Pedro se afastara de você, seja forte, suporte... tudo tem um ciclo... Até mesmo aqui na calunga,  tudo é cíclico....Logo este ciclo terminará e eu vou desfazer esse trabalho... Confie em mim...
Ela percebendo minha surpresa, me disse, não se iluda com a minha beleza, esta aparência é apenas um presente de meu Pai Omulu...Também tenho meu lado sombrio...Derrepente, todo o seu corpo mudou - apenas seus cabelos, vestes e adornos permaneceram - e ela se tornou-se uma caveira viva... E lá da Portão da calunga pude ouvir então:
“ A sua catacumba tem mistério mais ela é Pombagira do cemitério, mais ela e loura dos olhos azuis Rosa Caveira filha de seu Omulú...”

.........ALEA JACTA EST......

O texto é composto de mentiras símeis aos fatos... “e dizer mentiras símeis aos fatos é furtá-los à luz, encobri-los. As mentiras são símeis aos fatos enquanto só os tornam manifestos como manifestação do que os encobre " ele, revela assim, similitude que se oculta na verdade e na mentira no estreito caminho entre o cinismo e a ingenuidade.....
========================================

Dedicado a André, meu amigo, meu irmão, meu conselheiro, confidente... meu Afilhado e meu Babalawô... Você meu Babá com sua simplicidade e grande sabedoria, me ensinou a ouvir o que os Espíritos têm a dizer...... Bênçãos e Maldições na XT.... Asè ò...Babá

2 comentários:

Rodrigo Fonseca disse...

Impressionante a namorada do Pedro, prefere ter um cachorrinho do que um namorado de verdade! Hehehe
Acho impressionante a capacidade que as pessoas têm de querer manipular a vida, por que existe o dialogo? Sou a favor de usar os conhecimentos magicos em nosso beneficio, claro, mas existem outras maneiras, mas as pessoas continuam procurando atalhos p uma pseudo felicidade...
Bora procurar a realização real, a partir do autoconhecimento, do dominio de si e da confiança em si mesmo. Bom, agora mexeu com quem estava quieto (e protegido), vai colher... Ha-Ha-Ha

Jayhr Gael Lvnae disse...

Obrigado irmão...pelas palavras neste texto que é apenas um exemplo de mentiras símeis aos fatos....